sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Jacques conduz o seu amo, porque assim estava escrito lá em cima

Jacques - Jacques conduz o seu amo. Seremos os primeiros de quem o dirão, mas hão-de repeti-lo acerca de mil outros que valem mais que vós e que eu. 
O Amo - Isso parece-me duro, muito duro. 
Jacques - Meu amo, meu caro amo, ides recalcitrar contra um aguilhão que picará ainda mais. Eis então o que está acordado entre nós. 
O Amo - E que acrescenta o nosso consentimento a uma lei necessária? 
Jacques - Muito. Julgais que é inútil conhecer-se de uma vez por todas, nitidamente, claramente, aquilo com que se deve contar? Todas as nossas querelas apenas aconteceram até hoje porque ainda não tínhamos dito bem um ao outro que vós vos chamaríeis meu amo e que eu é que seria o vosso. Mas agora está entendido e não temos outra coisa a fazer que andar em frente com a consequência. 

Jacques o Fatalista e o Seu Amo, Denis Diderot. 

Sem comentários:

Enviar um comentário