segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Galizur

 


John Zorn and The Dreamers, Book Of Angels Volume 14. E eu ali, nas nuvens...

domingo, 19 de janeiro de 2014

histórias do princípio do fim do mundo


 
 
Até que diz o Orson Welles, tinha de morrer para nos lembrar de que também estava vivo.
 
 
"La Ricotta", de Pier Paolo Pasolini, em Ro.Go.Pa.G., 1963.

D'as artes entre as letras

 
Dedicado às artes e cultura como, de resto, o nome não engana,  e com sede na cidade do Porto, o jornal As Artes Entre As Letras permitiu-me publicar um texto que há já algum tempo havia deixado neste blog. "Mamma Roma e Pier Paolo Pasolini" pode ser lido nesta edição de 15 de Janeiro, aqui, para os assinantes. Para os interessados que, como eu, ainda não dispensam o papel, pelo menos não em absoluto, podem comprar o jornal no vosso quiosque do costume.
 
 

terça-feira, 7 de janeiro de 2014

it's all emotional

 



 

 Breaking The Waves (1996), de Lars Von Trier.

No Cais


HIPÓTESE:
O cinema é uma vigarice (Godard), mas essa vigarice pode ser superada.
Voltarei com membros de ferro, a pele sombria, o olhar furioso: sobre a minha máscara julgar-me-ão de uma raça forte.
Terei ouro: serei ocioso e brutal. As mulheres cuidam desses ferozes enfermos que regressam dos países quentes. Meter-me-ei nos assuntos políticos. Salvo. Agora para maldito, tenho horror à pátria.
O melhor é um sono bêbedo, no cais.
 
Quem Espera Por Sapatos De Defunto Morre No Cais (1970), de João César Monteiro
N’allez pas trop vite.