terça-feira, 16 de julho de 2013

do desejo de admiração de Séneca, ou da necessidade de reconhecimento, de Nietzsche

"A primeira coisa que a filosofia nos garante é o senso comum, a humanidade, o espírito de comunidade, coisas de cuja prática nos afastará uma vida demasiado diferente. Deve-mos precaver-nos, não  vão os nossos actos, que desejamos merecedores de admiração, tornar-se antes ridículos e odiosos.
[...] A filosofia exige frugalidade, não suplícios, e a frugalidade não necessita de ser desordenada."

Lúcio Aneu Séneca, Cartas a Lucílio, Fundação Calouste Gulbenkian, 2004, 2ª edição, Livro I (Cartas 1-12), p.11.

Sem comentários:

Enviar um comentário