quinta-feira, 20 de junho de 2013

de Cripple Crow a Mala: haja Devendra!

"(...) Mas agora, depois do ensaio de algo maior (mas que resultou num feito menor) que representou a sua estreia num catálogo de multinacional com What Will We Be (de 2009) eis que chega ao espaço da muito recomendável Nonesuch (casa de nomes como os Wilco, Laurie Anderson ou o compositor John Adams) com aquele que é talvez o seu melhor disco desde Cripple Crow, o álbum de 2005 no qual encetou o processo de descoberta de novos caminhos de que este disco representa o melhor e mais coerente esforço até à data. Tal como temos acompanhado nos seus discos mais recente, Devendra Banhart junta agora a uma escrita cuidada e inspirada um olhar que não se fecha numa rota única, o aparente desnorte que se projeta ao longo do alinhamento acabando aqui, mais que nos discos anteriores, por gerar uma magnífica coleção de canções que, mais que pelas formas, se ligam entre si pela forma de celebrar o amor e o tom “ligeiro” e luminoso com que cantam os apaixonados. (...)"
O texto é de Nuno Galopim, e pode ser lido aqui.
 
 
 
"Never Seen Such Good Things", álbum Mala (2013). Devendra Banhart 
 
 
 
"I Feel Just Like a Child", álbum Cripple Crow (2005), Devendra Banhart

Sem comentários:

Enviar um comentário